terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O país das sombras e da luz

Naquele país havia um sol que brilhava sempre e as pessoas usavam a sombra que ele produzia para se orientarem. Seguiam a sombra ou a direcção oposta, e a vida era simples de levar.
Mas as alterações climáticas trouxeram um denso nevoeiro, as sombras desapareceram e os habitantes daquele país ficaram totalmente desorientados, porque a direcção da sombra era para cada uma sua única linha de referência.

E a situação poderia ter-se tornado catastrófica, não fora a ideia que ocorreu a um cidadão de fabricar um chapéu munido de uma haste curva com uma pequena lâmpada na ponta. Postos à venda, toda a gente correu a comprar, de forma que cada habitante podia agora tomar as suas decisões como fazia antes de surgir o nevoeiro.

Houve uma proposta no sentido de nomear este cidadão “Salvador da Pátria” mas ele, modestamente, apenas aceitou o título “Aquele que devolveu a cada um a sua sombra”.

Sem comentários: