sábado, 8 de novembro de 2008

Subsídios para uma teoria da decisão - um "case study"

Alexandrino sempre foi um indeciso.
Em criança, se lhe ofereciam rebuçados de uma caixa, sentia-se incapaz de optar por um dos coloridos ou prateados objectos. Já sem falar da sempiterna pergunta "Gostas mais da mamã ou do papá?" em relação à qual ficava a olhar fixamente para a perguntadora tia Eufrásia, até esta se sentir incomodada e arranjar um pretexto para o largar e ir à procura de outra vítima.
No liceu, na turma que frequentou havia duas raparigas; nunca conseguiu decidir qual das duas convidar para sair.
Em casa só pode ter uma variedade de queijo, caso contrário levaria uma eternidade a decidir de qual deles cortar uma fatia para comer. E o mesmo acontece com qualquer outro tipo de alimento ou bebida.
Ir comprar qualquer coisa é um verdadeiro martírio para Alexandrino, porque agoniza em frente a diversas opções, seja comida, roupa ou uma simples esferográfica.
Hoje de manhã, quando Alexandrino saiu de casa, teve uma desagradável surpresa: a passadeira de peões que existia praticamente em frente da porta do seu prédio, e que ele atravessava para, no outro lado da rua, apanhar o autocarro que o leva ao emprego, tinha desaparecido. Avançou até à beira do passeio e verificou que as faixas brancas que assinalavam a passadeira tinham sido pintadas por cima. Olhou à esquerda e à direita e viu que a cerca de 50 metros em ambas as direcções, a Câmara Municipal tinha criado duas novas passadeiras, em substituição daquela que tinha eliminado. A angústia perante a escolha instalou-se no seu espírito...

Isto passou-se cerca das oito e meia da manhã; são agora 19 e 45 e Alexandrino ainda lá está, parado na beira do passeio, incapaz de decidir sobre qual das passadeiras utilizar para atravessar a rua...

4 comentários:

José Eduardo Lopes disse...

É um triste "fado alexandrino"!
;|

João Ventura disse...

so very true...
:-)

Ing. Pirralha disse...

Pergunto-me se o Alexandrino, quando atravessava a passadeira (a antiga claro está) decidia-se pela tira branca ou pela tira preta?!?!?
Esta é uma questão pertinente... julgo eu, ou talvez não!
Beijos
Be (lá das florestas)

João Ventura disse...

É uma questão pertinente... e já me tirou o sono. Havia a solução de dizer que ele atravessava nas brancas às 2as, 4as e 6as e nas pretas ás 3as, 5as e sábados (e aos domingos ficava em casa) mas isso implicaria uma decisão prévia da parte dele...
Para a próxima vê se trazes qustões menos pertinentes :-)

Bjns